http://www.institutozenmaitreya.org.br/2019/04/zen-shiatsu.html

sábado, 18 de junho de 2022

Capítulo 145 da seção sobre a Verdade da extinção no Sãtya-siddhi-sãstra



Sãtya-145

Capítulo 145- a refutação da impossibilidade da expressão.

Pergunta: que erro existe na teoria que afirma a impossibilidade da expressão?

Resposta: não existe impossibilidade de expressão de dharmas efetivamente existentes entre a identidade e a diferença. Por que razão? Não é possível conhecer a impossibilidade de expressão através das causas e condições das metáforas na medida em que dharmas como a forma são uma existência efetiva. Não existe nenhuma impossibilidade de expressar estes dharmas. Ou ainda, cada dharma possui uma característica própria. Da mesma maneira com que a decomposição é uma característica do dharma da forma, ele não possui uma
característica diversa. Como seria possível dizer que este dharma é inexpressável? Ou ainda, existem as distinções dos dharmas enquanto distinções da consciência. É da mesma forma com que a consciência visual conhece as formas e não pode conhecer os sons. Em função disto, não existe a impossibilidade de expressão neste contexto. Ou ainda, a forma é delimitada na entrada da forma, ela não pode ser abarcada na entrada do som. Caso você 
pretenda afirmar a impossibilidade da expressão, deve saber que a forma pode ser expressa enquanto forma. A forma só seria impossível de ser expressa se ela fosse uma não forma, e é da mesma maneira no que diz respeito ao som. Ou ainda, os dharmas possuem uma ordem passível de ser quantificada. Se os dharmas fossem inexpressáveis, eles não poderiam ser quantificados. Por que razão? Por que não existiria uma diferença entre um primeiro e um segundo dharma. Em função disto, podemos afirmar verdadeiramente que não existe uma
impossibilidade de expressar os dharmas. Só pode ser considerado impossível de expressão aquilo que existe como uma existência nominal em meio á identidade e á diferença.

Traduzido pelo Prof. Dr. Joaquim Monteiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário